Filtrar

    Palácio das Laranjeiras - Projeto decorativo

    Palácio das Laranjeiras - Projeto decorativo
    Brasil
    XX

    Conjunto de desenhos do projeto decorativo elaborado pela Maison Bettenfeld por encomenda de Eduardo Guinle para o seu palacete, hoje Palácio das Laranjeiras.

     

     

    Galerie Regence

    Sala do segundo andar, que se abre sobre a sala de jantar, circundando-a, forrada de lambris, formado por painéis de nogueira que se alternam com espelhos. O projeto previa florões ao centro dos painéis superior que foram eliminados.

      

    (1) Planta baixa de elevação da "Galerie Régence" - Canto superior esquerdo inscrição: Galerie Régence; Canto superior direito: Prémier Etage; Canto inferior direito: Ech.0,05pm. MHD 04.006.13; Sobre a folha, está colocado o risco de um guarda-corpo ladeado por candelabros, que não seria construído
    (2) Planta baixa de elevação da "Galerie Régence" -Projeto para construção do Palácio Laranjeiras. Na parte superior a esquerda, a inscrição em vermelho: Galerie Régence e em nanquim: app . Na parte superior a direita, a inscrição em sépia: Premier Etage. Na parte inferior, as inscrições em Nanquim: Cadre de glace, repetidas duas vezes, seguidas da inscrição em sépia: Ech 0m 05pm. MHD 04.006.14;
    (3) Planta baixa do teto da Galérie Regence --Projeto para construção do Palácio Laranjeiras. MHD 04.006.15

     

     

    Salão de Música

    A saleta segue o estilo dos Petits Gabinets de Luis XV, em Versalhes, formado por paineis, alternado-se em largura, com guirlandas.

    Parte superior esquerda, inscrição: "Salon de la Musique" em sépia. Abaixo, inscrição em grafite: Face Circulaire Developpie. MHD 04.006.03

     

     

    Chambre Louis XV

    O projeto do quarto principal tem o título “Chambre Louis XV”. O cômodo é uma peça quadrada, revistada por um lambri de madeira, de fundo creme e relevos brancos, com cantos arredondados.

    Uma das paredes é ocupada por duas largas e altas janelas se abrem para o parque, terminadas, em cima, por um arco abatido que se recurva no conhecido perfil en arbalète, próprio do estilo, como a agrafe assimétrica que lhe serve de fecho. (TORRES, p. 87)

    Na parece oposta, abre-se uma alcova, pouco profunda, cujo projeto previa uma abertura mais baixa, elegantemente curvada e contracurvada em arbalète, com um grande cartouche, ou cartela, no fecho, além de cortinas, coroada por um painel de lambri.

    Na parede do bourdoir há duas portas, das quais, a que fica perto da alcova é falta. Estas portas são de duas folhas, de um belíssimo desenho assimétrico em cada folha, de modo que a simetria se faz so no conjunto das duas folhas. Sendo altas estas portas, as sobreportas têm maior largura que altura. Contornadas por moldutras em curvas e contracurvas, com agrafes em cima e embaixo, enquadram graciosas pinturas decorativas, em tela, no gênero galante, que representam os amores de Cupido e Psique. (TORRES, p. 87)

    Entre as duas portas, um grande espelho encaixado no lambri, que forma á sua volta uma bela moldura entralhada, terminada em cima no perfil do arbaète do estilo, coroado por uma máscara feminina, sobreposta a dois atributos do amor entrecruzados, a alijada com setas e a tocha acesa, ficando o conjunto sob duas guirlandas de flores, tudo de finíssima execução. Separam o espelho das portas dois estreitos painéis, ou parclosses, no centro dos quais se fixam belíssimas arandelas de iluminação.  (TORRES, p. 87)

       

    (1) Na lateral esquerda, a seguinte inscrição em grafite: CHAMBRE LOUIS XV. REZ DE CHAUSSE. Na lateral direita: Un croquis. Na parte inferior, em azul 16-1-2-3-4 A. MHD 04.006.11;

    (2) Na parte superior, a seguinte inscrição em grafite: CHAMBRE LOUIS XV. REZ DE CHAUSSE - Na parte inferior, em grafite. Lit-  1,60 à Pepaulette - placer un callefat daus uns cains em lápis azul 8-9-10 C. MHD 04.006.09;

    (3) Na parte superior, a seguinte inscrição em grafite: CHAMBRE LOUIS XV. REZ DE CHAUSSE - Na parte inferior, em grafite. Porte sur boudoir - porte platcard - em lápis azul 4-5-6-7-8 B. MHD 04.006.11 

    (4) Planta baixa do teto do "Chambre Louis XV" - Projeto para Construção do Palácio Laranjeiras. Na parte superior, a seguinte inscrição em grafite: CHAMBRE LOUIS XV. REZ DE CHAUSSE - Na parte inferior, em grafite. Lit-  1,60 à Pepaulette - placer un callefat daus uns cains em lápis azul 8-9-10 C. MHD 04.006.09

      

     

     

    Biblioteca

    Sala com alto pé-direito, cuja decoração segue o estilo Luís XVI. Tem cinco portas-janelas, em arco, e dois vãos, em verga reta, sem folhas, para o salão vizinho. Os armários-estantes formam um primeiro lambri, a meia altura e na cor da madeira, alternando as folhas de vidro, divididas por pinázios, em tom verde-água. Acima, das estantes, o lambri, pintado em verde-água, divide-se em painéis retangulares lisos, largos uns, estreitos outros, delimitados por toro de folhagens ou molduras lisas, pintados de branco. (TORRES, p.81)

      

    (1) Na parte inferior esquerda, inscrição em sépia: "BIBLIOTHEQUE". Abaixo, em Nanquim: app. Na parte inferior direita, inscrição em Nanquim: "Echelle de 0,05p.metre, MHD 04.006.18;

    (2) Na parte inferior esquerda, inscrição em sépia: "BIBLIOTHEQUE". Na segunda parte, em Nanquim: Modifications à l'arc: poutre droite porte sans battantes. Na parte inferior direita em grafite: Echelle de 0,05p.mètre. MHD 04.006.21;

    (3) Planta baixa do teto da Bibliotheque" - Projeto para construção do Palácio Laranjeiras. MHD 04.006.17 

     

    Nota

    A Maison pertencia ao ebanista Louis Bettenfeld, famoso em Paris por seu acabamento refinado em móveis e objetos decorativos, incluindo peças inspiradas ou mesmo copiadas do mobiliário dos palácios franceses do Antigo Regime.

    A empresa decoradora não apenas atuava na manufatura de móveis, mas também encomendava outros artigos de produtores ou artistas franceses, como móveis, peças de decoração, cortinas e tapetes. Por seu intermédio, Eduardo contratou famosos pintores, escultores, ebanistas e vitralistas para participarem da ornamentação de sua casa. Georges Picard, Émille Guillaume, A. P. Nardac, Georges Gardet, Emmanuel Cavaillé-Coll e Champigneulle, entre outros, foram os artistas responsáveis por vários elementos decorativos do palacete. (ALGEBAILE, 2020, p. 60).Para atender a grande demanda de Eduardo, ela iria abrir uma filial na cidade do Rio de Janeiro.

     

     

     

    Bibliografia

    ALGEBAILE, Simone Carvalhar Damasceno. O palácio e o mobiliário: ostentação e requinte do Palácio das Laranjeiras. Rio de Janeiro, 2020. Dissertação (Mestrado em memória e acervos) – Programa de pós-graduação em memória e acervos, Fundação Casa de Rui Barbosa, 2020.

    CARDOZO, Lucas Dantas.  Eduardo Guinle, o mercado de arte e colecionismo: um palácio e coleção privados em busca do sentido e destino do patrimônio cultural. Rio de Janeiro, 2021. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Museologia, UNIRIO.

    CARMO, Gustavo Reinaldo Alves do. O Palácio das Laranjeiras e a Belle Époque no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2008. Dissertação Mestrado, Escola de Belas Artes/UFRJ.

    Palácio das Laranjeiras – Site Oficial (palaciodaslaranjeiras.rj.gov.br) Governo do Estado do Rio de Janeiro, 2020.

    TORRES, Mário Henrique Glicério. Palácio das Laranjeiras. In: Palácio das Laranjeiras. [Rio de Janeiro]: Governo do Estado do Rio de Janeiro/ BANERJ: SOBREART, 1982.

     

     

    Observações

    Coordenação: Ana Pessoa (FCRB), 2021

    Pesquisa e edição imagem e texto: Ana Pessoa (FCRB), Andreza Baptista (PIPC/FCRB) e Veronica Castanheira

    Colaboração: Simone Algebaile

    Fonte: Museu Histórico e Diplomático do Itamaraty (MHD)

    Agradecimento: Oficial de Chancelaria Helen Verraes e Embaixador Eduardo Prisco Paraíso Ramos

     

     

     

    ttt
    PTCD/EAT-HAT/11229/2009

    Please publish modules in offcanvas position.