Filter

    Casa do Mordomo

    Casa do Mordomo
    Brazil
    XIX

      

    Fachada da Casa do Exmo Sr. Mordomo da C.I, 1865. (H44)

    Detalhe da casa do mordomo, fachada lateral, 1865 (H45)

    Corte transversal e longitudinal de uma edificação, 1865 (H46)

    Casa da residencia do snr. consro. Paulo Barbosa Mordomo-mor da Casa Imperial: fachada principal. planta baixo, planta do primeiro andar, 1861 (H1)

    Corte A-B, C-D e fachada lateral (H2)

    Anexo para a residencia do Exmo. Snr. Conselheiro Mordomo-mor da Casa Imp. dentro da I. Q. V. B principiado no febreiro de 1860 e

    acabado  janeiro de 1863 (H3)

    Planta térreo circuito de campainha e gás 

     

    Conjunto de desenhos da casa e seu anexo do Mordomo-mor, então o conselheiro Paulo Barbosa de Oliveira, por Theodor Marx, 1861

    Desenho, aquarela, nanquim, grafite

    Biblioteca Nacional, Brasil

     

    Nota

    A residência do Mordomo era localizada em terreno da Quinta da Boa Vista, e sua reforma integrou uma extensa campanha de obras e reformas empreendida pela Casa Imperial, instância responsável pela administração dos palácios e propriedades como dos serviços para atender a família imperial, envolvendo cerca de 600 pessoas.

    O cargo de Mordomo Mor foi ocupada pelo engenheiro militar Paulo Barbosa (1790 ‒ 1868), a partir de 1834, quando tornou a residência local de intensa articulação política que preparou a Maioridade e a ascensão do jovem d. Pedro II ao trono. Paulo Barbosa se manteve no posto até a sua morte, o intervalo de nove anos de afastamento. No primeiro momento, impulsionou a implantação de Petrópolis, e a construção do palácio imperial de veraneio, como obras de modernização do Paço da Boa Vista, nas quais a fachada foi reformada segundo a linguagem clássica.

    Em 1855, ao reassumir a Mordomia, Paulo Barbosa promoveu uma extensa campanha de obra em várias propriedades imperiais, em especial os da Quinta da Boa Vista, que se estendeu até 1867. Nesse período, ele contou com a colaboração do cenógrafo italiano Mário Bragaldi, que realizou a decoração do Palácio Imperial de são Cristóvão, e do arquiteto  Theodor H. Marx, que coordenava as obras. A atuação do arquiteto resultou em uma numerosa coleção de plantas e desenhos, hoje depositados na Biblioteca Nacional e no Iphan, da qual pertencem os desenhos apresentados.

    Na intervenção documentada, observa-se a ampliação e melhoria das áreas de serviço e a implantação dos elementos de ferro na fachada.

     

     

     

     

     

     

     

    Bibliografia

    Casa Imperial. Memória da Administração Pública Brasileira, Arquivo Nacional. Disponível em < http://mapa.arquivonacional.gov.br/index.php/menu-de-categorias-2/271-casa-imperial>.  Apurado em 20 dez 2020.

    LACOMBE, Américo Jacobina. O Mordomo do Imperador. Rio de Janeiro : Biblioteca do Exército, 1994.

    PESSOA, Ana; SANTOS, Ana Lúcia Vieira dos. Th. Marx, um arquiteto na corte de D. Pedro II. 3º Anais do Congresso Internacional de História da Construção Luso-Brasileira. 3 a 6 setembro 2019, Salvador

     

     

    Observação

    Edição: Ana Pessoa (FCRB), 2020

    Pesquisa: Ana Pessoa (FCRB) e Ana Lúcia V.  Santos (EAU/UFF)

     

    ttt
    PTCD/EAT-HAT/11229/2009

    Please publish modules in offcanvas position.