Filter

    José de Souza Breves, 1879 - Imóveis urbanos

    José de Souza Breves, 1879 - Imóveis urbanos
    Brazil
    XIX

    Inventário do comendador José de Souza Breves, 1879. O inventariante foi seu irmão, Joaquim José de Souza Breves, o rei do café. 

    [Trecho relativo aos bens imóveis nas cidades de Arrozal, Barra Mansa, Pirahy e Rio de Janeiro]

    Fonte: Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário. Coleção Textual, Acervo Textual. Mídia AP_020464_V2 e AP_020464_V7

     

     

    Arrozal

    [Volume 2]

    [fl. 131] [...] Bens na Freguezia

    Casa da botica em terreno doado a São João Baptista, forrada e assoalhada, por oito centos mil reis, que sáe á margem | 800$000

    Casa em que mora o Paulino, em terreno foreiro ou doado a S. João, um conto, seis centos mil reis, que sáe á margem | 1:600$000

    Casa em que mora Antonio Ignacio, em terreno de S. João, por tresentos mil reis, que sáe á margem | 300$000

    Caza de sobrado, com gradil de ferro, idem, quatro contos e duzentos mil reis, que sáe á margem | 4:200$000

    Mobilia desta casa constando de [fl. 131v] constando de tres marquezas, dezoito cadeiras de palhinha, dois sofás, quatro apparadores, duas mezas redondas, uma de jantar, um guarda louça, um lustre, na sala, seis quadros, um dito grande com moldura dourada, tres mandas de vidro, quatro arandellas com mangas e uma redoma, tudo por duzentos e quarenta mil reis, que sáe á margem | 240$000

    Duas casas, sendo uma com frente de adobes e outra de páo á pique, ambas por tresentos mil reis, que sáe á margem | 300$000

    Uma dita da esqiuna, velha, quatrocentos mil reis, que sáe á margem | 400$000

    [...]

    [Volume 7]

    [fl. 48] Avaliação dos bens situados na sede da freguezia de Arrozal

    Aos seis dias do mez de Março do anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil oito centos e oitenta e oito, na Freguezia de S. João Baptista do Arrozal do Termo do Pirahy, onde foi vindo o Meretissimo Juiz de Orphãos supplente, o cidadão Antonio Joze do Couto, comigo escrivão de seu cargo e o official de Justiça Jose da Silva Dias, tendo tambem vindo os louvados Doutor Jose Caetano de Oliveira, Tenente Coronel Silvino Coelho de Avellar e Alferes Joze Vieira Soares Braga, ahi, por estes forão avaliados os bens pertencentes ao espoleo do finado Commendador Joze de Souza Breves, que lhes forão apre [fl. 48v] apresentados, do modo seguinte:

    Immoveis

    Uma casa de sobrado com gradil de ferro nas janellas, por tres contos e oito centos mil reis, que sáe á margem | 3:800$000

    A mobilia desta caza constando de tres marquezas, dezoito cadeiras de palhinha, dous sofás quatro apparadores, duas mezas redondas, uma meza para jantar, um guarda louça, um lustre na sala, seus quadros, um dito grande com moldura dourada, tres mangas de vidro e arandellas e uma redoma tudo avaliado por duzentos mil reis, que sáe á margem | 200$000

    Uma caza da Botica em terreno doado a S. João Baptista forrada e assoalhada por seis centos mil reis, que sáe á margem  | 600$000

    Uma caza em que morou Antonio Ignacio, terreno de S. João Baptista, por duzentos e cincoenta mil [fl. 49] mil reis, que sáe á margem | 250$000

    Uma caza em que morou o Paulino, terreno de S. João Baptista, um conto de reis, que sáe á margem | 1:000$000

    Duas cazas em aberto e safeixadas na frente da rua, entre o Theatro e o Sobrado, por tresentos mil reis, que sáe á margem | 300$000

    Não havendo mais bens para avaliar, mandou o Juiz lavrar este termo que assigna com os louvados. Eu Marcolino Ventura Gonçalves, Escrivão, que escrevi. 

    [...]

     

     

    Barra Mansa

    [Volume 2]

    [fl. 178] Auto de Avaliação da Situação do _ Fumo _

    Aos vinte e sete dias de Agosto de mil oitocentos e oitenta, nesta situação denominada - Do Fumo - deste Termo da Barra Mansa e pertencente ao espolio do finado Commendador José de Souza Breves, onde foi vindo o Meritissimo Juiz de Orphãos Doutor Ponce de Leon, comigo escrivão de seu cargo diante nomeado, ahi presentes o Commendador Joaquim José de Souza Breves, seu advogado e os avaliadores retro referidos, forão dados a avaliação os seguintes bens: 

    _ Casas _

    A casa de morada - com tres lances coberta de telhas, com uma porta e cinco janelas de frente, por quinhentos mil reis, que a margem sae | 500$000

    Um engenho de cana, puxado de [fl. 178v] de animaes, com casa coberta de telhas, por duzentos mil reis, que a margem sae | 200$000

    Dous lances de tulhas, cobertos de telhas, a cem mil reis, por duzentos mil reis, que a margem sae | 200$000

    Um lance de paiol, coberto de telha, por cem mil reis, que a margem sae | 100$000

    Um galinheiro coberto de sapê, por trinta mil reis, que a margem sae | 30$000

    [...] 

    [fl. 190] Auto de avaliação 

    Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil oito centos e oitenta aos dous dias de setembro da Barra Mansa, a rua Direita, onde foi vindo o Juiz de Orphão Doutor Adolpho Pereira de Burgos Ponce de Leon, comigo escrivão de seu cargo, ahi presentes o advogado do Inventariante, e avaliadores rero mencionados, foi pelo dito advogado da sua avaliação o seguinte bem do espolio do finado Commendador José de Souza Breves: 

    Uma casa assobradada na dita rua numero , as [fl. 190v] assoalhada e forrada, com quatro janellas envidraçadas de frente, e uma porta, com duas grandes salas, gabinete, cinco quartos, dispensa e cosinha, quintal arborizado e coxeira com sahida para a casa de São Sebastião, em terrenos paroprios, que foi vista e avaliada por oito contos de reis, que a margem sae | 8:000$000

    [...]

     

     

    Pirahy

    [Volume 7]

    [fl. 50] Aos treze dias do mez de Março do anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil oito centos e oitenta e oito nesta freguesia de Sant’Anna da Cidade e Termo do Pirahy, em a Caza pertencente ao espolio do Commendador Joze de Souza Breves, onde foi vindo o Meretissimo Juiz de Orphãos Supplente o cidadão Antonio Joze do Couto, cmigo Escrivão de seu cargo e os louvados Doutor Joze Caetano de Oliveira, Tenente Coronel Silvino Coelho de Avellar e Alferes Joze Vieira Soares Braga, por estes foi feita a avaliação que abaixo se segue: 

    Caza

    Uma caza de sobrado, sita a rua [fl. 50v] rua Direita desta Cidade, em frente a Igreja, com quatro janellas de sacada na frente, toda muito arruinada, com um pequeno terreno ao lado e murado na frente, tudo avaliado na quantia de setecentos mil reis, que sáe á margem | 700$000

    Não havendo outros bens para avaliar ficarão terminados os trabalhos e de tudo para constar mandou o Juiz lavrar este termo que assigna com os louvados.

     

     

    Rio de Janeiro

    [Volume 2]

    [fl. 210] Auto de avaliação

    Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil oito centos e oitenta, aos vinte e seis de Julho nesta cidade do Rio de Janeiro em a casa da Rua da Musericórdia numero nove, onde foi vindo o Doutor Jorge de Azevedo segmado Juiz dos Orphãos [?] comigo escrivão inferido de seu cargo adiante nomeado, e os louvados João Francisco da Costa Ferreira e João Rodrigues dos Santos Mello a estes ordenou o Juiz que procedessem a avaliação dos bens da casa, digo dos bens do finado Commendador Jose de Souza Breves, principiando pelo seguinte: 

    Predios

    [fl. 210v] Um predio de sobrado á rua da Misericordia numero nove, canto do Becco da Fidalga ou Travessa da Fidalga, tendo de frente sete metros e dez centimetros e desoito metros e setenta centimetros de fundo, tambem faz frente para a travessa, com tres janellas de sacada com grade de ferro e do lado da travessa quatro janellas de peitoril, dividido em duas salas, gabinete, quatro, digo gabinete, tres quartos, dispensa e cosinha, tudo forrada e assoalhado, menos a dispensa e cosinha que são de telha vã. A loja aberta em armazem, com tres portas sendo uma para servidão do sobrado. A construção do predio pedra e cal, divisões de tijolo e estuque, portada de cantaria. A loja parte é as [fl. 211] assoalhada e parte em chão, derão o valor de deseseis contos de reis | 16:000$000

    Um predio nobre de sobrado á rua de Olinda numero vinte, em Botafogo, que tem de frente oitocentos e noventa e tres centimetros e de fundo quinze metros e dez centimentros com um puchado de onze metros e sessenta centimentros de extensão e oitometros e trinta cinco centimentro de largura. O sobrado tem quatro janellas de frente com sacadas de grade de ferro, forrado de cobertura, dividido o sobrado em sala, gabinete e seis quartos tudo forrado e assoalhado. A loja tem tres janellas de peitoril e portão de entrada com um pequeno saguão que dá entrada para toda casa, dividida em duas salas, [fl. 211v] um quarto, sala de engommar, corredor ao lado, uma meia agua com quarto para pretos, dispensa e cosinha tudo forrado, menos a cosinha que é telha vã e asphaltada, tem no centro da meia agua um tanque de pedra para lavagem. A construção do predio é de cantaria de paredes de pedra e cal, divisas de tijolo e estuque e o madeiramento de lei. A chacara tem cincoenta tres metros e trinta centimetros de fundos ahi encosta a Montanha e combina pela mesma até a Praça Conde d’Eu, tendo de largura treza metros e cincoenta sete centimentros, toda murada dos lados com pedra cal. O sobrado tem nos fundos uma escada que serve para o mesmo. O [fl. 212] terreno está plantado e ajardinado e é foreiro, derão o valor de vinte oito contos de reis | 28:000$000

    Um predio terreo á rua de Olinda em Botafogo numero vinte dois, que tem de frente quatro metros e sessenta centimentros e quatorze metros e quarenta centimentos de fundo, com duas portas abertas, em casa de quitanda, com alcovas, sala de jantar, um quarto, um puchado com nove metros e desoito centimetros de fundo com quatro metros e quarenta centimentos de largura. Tendo um guarto, dispensa e cosinha, tudo forrado e assoalhado, menos a dospensa e cosinha que é de telha vã e asphaltada. O quintal tem dez metros e sesenta centimetros de extensão [fl. 212v] e quatro metro e quarenta centimentros de largura. A construção do predio na frente pedra e cal, portadas de cantaria, divisões de tijolo e estuque, terreno foreiro, avaliarão em sete contos de reis | 7:000$000

     

     

    [Notas:

    1. Os bens no volume 02 foram avaliados em 1880; 

    2. Os bens no volume 07 foram avaliados em 1888]

     

    [Coordenação: Ana Pessoa (FCRB); Pesquisa e transcrição paleográfica: Andreza Baptista (PCTCC/FCRB) e Clara Albani (PCTCC/FCRB), 2021.]

    ttt
    PTCD/EAT-HAT/11229/2009

    Please publish modules in offcanvas position.