Filter

    Palácio de Pangim, 1773

    Palácio de Pangim, 1773
    Goa
    XVIII

    Contrato de obras de reabilitação do Palácio de Pangim, 1773

    In GOA NACIONAL ARCHIVES, Livro de Obras, Nº7840 - 1770-1773. s.n.

    (Excerto)

    "Aos 23 de janº de 1773 sendo juntos em mesa da vereação os Vereadores e mais oficiais … no lanço das obras do Palácio de Pangim deste presente ano de 1773 com o lançamento o empreiteiro terá que levar a empreitada acabada de obras sera obrigado a seguralas depois das obras acabadas hum anno e hum dia e dará muito compridamente as condições seguintes. 

    Com a condição que na casa da lapa pora dez taboas de comprimento de dezasseis palmos cada huma e dous palmos de largura e duas polegadas de groçura que serão metidas ao redor das paredes prateleira o que serão firmadas ? em cima de vinte quatro barrotes de comprimento . Cada hum de três palmos e seis polegadas  groçura em quadro e hum palmo de dito barrotes metido na parede, tudo bem firmee pregado e porá mais duas tabuas nesta dita parede defronte da porta que th hande de  servir  de prateleira de comprimento. Cada huma de oito palmos, dois de largura e duas polegadas de groçura bem metida e firme pelos três lados na parede em que porá cem  ? de ripas da largura de sinco polegadas. Tr novas e velhas bem pregadas e unidas nas suas divisões 

    Com a condição de na dita casa da Lala fará hua mesa de comprimento de quinze palmos , oito de largura com quatro tabuas de comprimento de quinze palmos cada hua e dois de largura e dhuas polegadas de groçura firma com suas travessas bem unidas e pregadas e fara sua armação da altura de quatro palmos com dez barrotrs que servirão de pés a dita mesa de seis polegadas de groçura … com 7 m de travessas por cima e por baixo de seis polegadas de groçura em que quadrado todas embebidas com suas meias partes bem unidas e firme e fara com toda a perfeição

    Com a condição que fará hua escadinha de des palmos de altura pª serventia da dita casa com dous barrotes de meia altura e quatro polegadas de groçura em quadrado com seis travessas e cinco a seis degraus da largura de três polegadas de groçura e dois palmos e meio de comprido com suas mexas passadas bem unidas firme e bem pregadas.

    Com a condição que na cozinha da dita casa da lapa desmanchará e tirara as teroulos ? velhos e lagiará o dito chão de novo em que porá 850 tijoulos novos de hum palmo em quadrado de boa qualidade bem assados e bem unidos em que porá pela referida obra meyo moyo de chunambo e fara a remedeira dos fugoens da dita copa e das paredes em que porá meyo moyo de chunambo e fara o converto da cantoneira da dita cozinha em que porá de novo quatro meias portas da altura     de  quatro palmos duas de largura huma polegadade groçura, as duas dos lados serão pregadas firmes e as duas do meyo com quatro biziagras e sua  aldrava e concertara e  pregara o forro e os degraos da dita cantoneira o que tudo fara com cuidado e perfeição.

    Com a condição que na janella da casa donde se dava a mesa tapara hum vão na  parede da ditta janella de cinco palmos de comprimento hum de altura e hum de groçurarebocará e cafalará por dentro o ditto concerto.

    Com condição que donde se fez nova secretaria na escada no fim do corredor porá de novo sete tabuas em lugar das velhas que tirar que terão de comprimento de douze palmos cada hua palmo de largura três polegadas de groçura e porá mais trinta m. ( mpara  armação interior da dita escadada groçura de quatro polegadas em quadrado o que tudo fará bem unido pregara tudo com oito ar. tes de pregos fortes e fara todo concerto das paredes portas adufas do corredor e casa da dita secretaria nova deposto que não haja falta nenhuma.

    Com a condição que na secretaria velha que se destinou para quartos das senhoras  se porá no telhado da sala da parte da entrada cento e vinte  maons de aguieiros para rebatir a guarnição do telhado da parte da rua da groçura de quatro polegadas em quadrado e porá mais doze m. (molhos) de frechal de seis polegadas de groçura em quadrado para asintar sobre a parede o dito madeiramento e porá douze m. (medas , molhos ?) tabuas para guarnição de hum palmo de largura e hum polegada de groçura e porá duas ttravessas (?) nos cantos de comprimento de seis maons cada huma e hum palmo de groçura em quadrado para condezir com outro dois cantos ficando o dito telhado da sala uniforme.

    Com a condição que ripara pela parte de dentro as aguas furtadas da casa da entrada e sala em que porá dous mil e quinhentos cov.s de ripas de ganelo da largura de três polegadas e hua de groçura o que tudo pregara com hua mão e meia de pregos de ripas e meia mão de pregos de agueiros e porá fechado o dito ripamento cinco mil telhas de ganelos da boa qualidade e bem assados e abaixara os dous tirantes da dita sala.

    Com a condição que tapara a porta do quarto que vay na sala grande que tem de altura douze palmos seis de largura dous de groçura de pedra e cal bem unida rebocada e cafalada pela parte de dentro e tapara mais meya porta na sala de Sira ( secretaria) da altura e largura de seis palmos dous palmos de groçura de pedra e cal bem unidas rebocada e cafalada pela parte de fora .

    Com a condição que fara na dita sala hua porta nova de gous qrdeis dobradiça de altura de onze palmos seis em largura duas polegadas de groçura com oito bizagras bem pregadas seis dardos nas dobradiças e duas no caxillo que faltão e lhe porá fechadura e aldrava da meya porta velha e fara a dita porta bem unida com suas doze travessas bem encarnadas e pregadas o que fara com perfeição 

    Com condição que na porta que se acha conryspondente na mesma sala fara as duas meyas portas velhas  aberta ao meyo dadobradzia e lha porá seis bizagras novas bem pregadas que fique conrypondente a outra porta nova com condição que no quarto interior a dita sala próxima da tribuna porá na janela do dito quarto a sacada que se tirou da janella da salla da Embaixada rasgando por baixo e tapando por cima a janella do ditto quarto lha acomodara e porá a dita sacada que fique uniforme a janela próxima do dito quarto abaxando e caxillo da dita janella e a acrescentando lhe por sima dous palmos com madeira da casa o que tudo fara bem unido e firme de sorte que fique tudo corypondente a janella próxima … em que porá pela referida janella digo obra meyo moyo de chunambo. 

    Com a condição que mudara adufa e lanve da referida janella e acomodara na janela do corredor próxima a tribuna com seu capuz (?) bem metido na parede sem defeito algum

    Com condição que fara toda remedeira nos referidos q… velha de todas as paredes tapando os buracos do chapuz das estantes que se tirarão a remedeira de todas as portas e adufas e rebuscamento que falta e cayarse tudo por dentro dos referidos e sera obrigado a por dous moyos de chunambo e fara o referido concerto e cayamento com perfeição.

    Com a condição que sera  obrigado a fazer toda correição dos telhados e aguas furtadas de todo o palácio fazer os cumes e aljorozes que faltão tomar as goteiras no inverno tirara a palha e alimpara os ditos telhados no fim de julho em que porá de mais sinco mil telhas vaons e três mil telhas de gancho de boa qualidade grande e bem asada y porá para concerto dos cumes e aljorozes que faltão hum moyo de chunambo.

    Com a condição que toda a referida madeira destas condições sera de boa qualidade e bem teca ou mareta ou sirico.

    Com estas condições e sendo … …. 

    Goa 22 de Janeiro de 773 

     Nota:

    Antiga fortaleza de Adil-Khan, o edifício foi adaptado a habitação sendo residência dos vice-reis quando chegavam de Lisboa até à sua entrada oficial em Goa. Com o declínio da cidade de Goa  o Vice-Rei Conde da Ega, decide remodelar o edifício para residência oficial instalando-se aqui a 1 de Dezembro de 1759. As obras a que o documento de 1773 se refere correspondem a obras de manutenção, dadas as condições do clima de Goa muito quente e húmido. Nesta passagem foi transferida para este palácio a Galeria dos Retractos dos Vice-reis e Governadores da India Portuguesa. O edifício manteve-se como residência até 1918 altura que passou a serviços administração pública.

    bibliografia:

    DIAS, Pedro, De Goa a Pangim, Lisboa,  Santander Totta, 2005, pp.314-316.

    LOPES MENDES, Índia Portuguesa, Lisboa, Imprensa Nacional, vol.II, 1866, p. 27.

    SALDANHA, Padre Gabriel de, História de Goa, Vol. II, Parte III, Nova Goa, Ed. Livraria Coelho, 1926, pp.165-171-

     

         

    ttt
    PTCD/EAT-HAT/11229/2009

    Please publish modules in offcanvas position.